terça-feira, 13 de outubro de 2009

rituais de mulher...

Nossa vida é cercada de ciclos e rituais..
nem tão legais e diferentes como o das tribos indígenas, mas ainda rituais por assim dizer..

O primeiro ritual pelo qual você é meio que “obrigada” a passar é o batismo..
a maioria das pessoas que eu conheço foram batizadas,
e digo que foram obrigadas a passar por isso, pois você neste momento é só um bebê indefeso que não pode opinar nem ficar contrariado.. nesse momento você ainda nem enxerga direito e seu ouvido e olfato são os únicos recursos de percepção do ambiente que você possui.
Ou seja, deve ser mega assustador..
Não é a toa que a grande parte das fotos que você vê de bebês sendo batizados é aquela cara de choro medonha.





Claro que existem outros rituais como as mudanças de idade e de comportamento e que elas, renderiam sozinhas um post inteiro..mas serão sobre esses três rituais que vou falar hoje..

Então, passado o trauma do batismo, você ouve falar desse negócio chamado menstruação..
histórias e mais histórias bizarras lhe são contadas afim de transmitir pânico e acabar com a tranqüilidade da sua vida..afinal agora você sangra durante cinco dias pelo menos, e pra espanto da população não morre..

Depois do grande feito da sobrevivente, que acontece entre os 12 e os 14 anos de idade, podendo variar aí alguns anos pra mais ou pra menos, você chega à fase mais frufuzinha da vida adolescente..os quinze anos.







Nunca entendi o porquê dessa coisa com os 15 anos, mas acho que deve estar ligado ao fato de que você não morreu de tanto sangrar e ter cólicas e por isso deve comemorar com uma festa de abalar quarteirões..

Na minha cidade (e me parece que em todo o país) a tradição era fazer uma festa de arromba mesmo, digna de princesa.
Vestido, várias roupas pra usar durante a festa, bolo, fotos, valsa, madrinhas..ou seja um dinheirão investido num capricho que sabe-se lá quem inventou!!!
E que na minha humilde opinião, não serve pra nada a não ser enforcar financeiramente os coitados dos pais que suam a camisa pra pagar tudo..
Mas sei que essa balela de festinha de quinze anos sempre será bem vista belas donzelas adolescentes, e por isso fica aqui o meu respeito a todas que fizeram ou que um dia farão..
afinal festa é festa e eu adoro ir comer e beber de graça em qualquer que seja a ocasião..





Mas voltando a falar dos rituais..
por último e não menos importante vem o tal do casamento...

Bem minha filha, você nasceu, foi batizada..
sangrou e morreu de dor durante anos..
e pra completar, arrumou alguém pra compartilhar disso que você se tornou..
e aí, a nossa sociedade tão conservadora e sensata definiu que você tem que se casar..


Sim, perante Deus e parente a lei você deve registrar aquilo em algum lugar..
e isso é o que não falta na hora de escolher..

Em algumas religiões essa é uma das festas mais rentáveis que podem acontecer..
E já que você vai entrar na igreja e no cartório, que tal repetir a dose dos quinze anos e gastar mais dinheiro em vestido e bolo??

Boa idéia, certo?
Você agora, sangra, sente dores..e bem, vai usar branco..
E o seu banco pra pagar todas as dívidas..
sem falar da dor de cabeça pra arranjar o buffet, as fotos, o salão de festa, o dia de noiva e toda a patifaria necessária pra fazer uma festa que valha..
e o melhor do casamento é que ainda tem festinhas anexas..
chá de panela, chá de lingerie, despedida de solteiro..ou seja, é festa que não acaba mais..
e agora eu te pergunto..

Tudo isso..para que?
Para nos sentirmos inclusos, visíveis a uma sociedade que finge nos observar e que na verdade nos desconsidera?

Porque precisamos desses rituais que na verdade só alimentam a máquina do consumo e do desperdício?
Porque se fossem apenas cerimônias de passagem, pouco importariam as fotos, os vestidos, os bolos, os buffets..pouco importaria a roupa..o papel..
o que mais nos importaria seriam as pessoas, a transformação, a vida acontecendo..crescendo evoluindo..e poderia ser numa tarde de sol, num jantar simplório, num abraço ou numa reunião de amigos..a comemoração seria a mesma, se os valores em que acreditamos fossem os mesmos..

E que infelizmente não são..



Ouvindo_O Pato_João Gilberto






2 comentários:

Bruno disse...

Todos esses rituais servem para encher os olhos num instante e depois retornar a realidade bem mais simplória, de fato isso vem mudando... Abs.

Møderådørå disse...

Penso da mesma maneira, principalmente sobre a festa dos benditos 15 anos, que graças aos céus eu não tive, pq ja na época eu tinha essa opinião. Acho que o batismo nem tanto, afinal vc nem está tão "presente" lá. Agora o casório, atualmente as pessoas usam mais como mostrar seu status, do que o empurrão da sociedade que está embutida em todas as "tendencias" para o evento.