terça-feira, 31 de março de 2009

7 dias e pouco..


A sete dias do meu aniversário a expectativa poderia ser grande..
ou uma expectativa apenas,
mas confesso que não espero grandes acontecimentos neste ano.


Primeiro porque tenho andado numa corda bamba constantemente..e isso enche o saco..
e segundo porque não há muitos motivos para ficar empolgada..
(mas existem as coisas boas e eu realmente posso contar com elas durante o resto do ano)



Me mudei..
passei por todos os tipos de stress físico e mental que uma pessoa normal poderia enfrentar,
mas estou viva e não estou reclamando...pelo contrário, me sinto uma espécie de vencedora das mudanças domésticas..e com bagagem para enfrentar tantas outras coisas..
Saio da Pompéia com grande saudade, e sigo para outro lugar pra chamar de casa..



A 7 dias do tal 07 de abril..
e sem muitas expectativas, pensei em fazer uma retrospectiva sobre o que aconteceu no último
ano..
mas é melhor deixar pra lá..


Talvez porque no último aniversário as coisas estavam bem, digamos..
toscas..e foi depois de maio que tudo de bom aconteceu..



Deixei isso aqui mais às moscas que o normal porque, quando a gente muda..
tudo muda..
inclusive a gente mesmo..
e eu não sei em que estou me transformando agora..
é só esperar pra ver..e talvez não seja em nada demais..


Podemos dizer que talvez, agora aos 22/23 a gente se transforme nessa coisa rídicula
que resolveram chamar de adulto..
e talvez eu esteja achando tudo muito chato, pois estou de chico..

mas isso é conversa pra outra hora..





Bom..
vou ficando por aqui..
com um post nada a ver, e desistindo totalmente de transformar esse blog em algo visitável..
até porque, ler ultimamente é sinal de burrice, tolice ou coisa parecida..

o negócio é navegar nas idiotices da internet e achar isso o máximo, certo?


Ok..


deixo o bloguinho no meu mundinho..
e o resto..


o resto é Brasil..




Ouvindo_Deixa o verão_Los Hermanos

sexta-feira, 20 de março de 2009

teorias e mais teorias..




Bom, eu que ando por aqui pensando..
tava ontem imaginando a vida caótica do paulistano que mora dentro
disso tudo aqui, que resolveram chamar de cidade..

Bom, como o devaneio foi longe demais..
acabei perdendo o racíocinio , e fui atrás de alguma coisa que me
trouxesse novamente o âmago do assunto que eu havia perdido..

Enfim, achei uma crônica ótima..
que além de divertida, diz tudo, sobre esse cara..
esse que inventaram de chamar de paulistano..


" O paulistano normalmente leva uma vida tranqüila, sem sobressaltos. Estamos perfeitamente adaptados ao nosso habitat. Sabemos como proceder em todas as situações, desenvolvemos métodos e temos soluções à mão para praticamente todo tipo de imprevisto. Na boa: ser paulistano é conseguir ficar relax mesmo morando numa cidade desse tamanho.

Por isso, quando o paulistano quer realmente se estressar, o que ele faz? Quando o paulistano quer realmente se estressar, o paulistano tira férias.

O fato é que o paulistano não está preparado para o estilo de vida de outros povos – principalmente se esses outros povos falam português e vivem dentro do Brasil. Não é um problema apenas de ritmo ou de qualidade de serviço. Qualquer diferença cultural – do jeito de falar à preferência musical ao tempero da comida – é motivo para o paulistano se estressar.

O pessoal dos outros lugares acha graça, pensando que paulistano é um estressado de nascença. Não é. A verdade é que o paulistado ficou estressado foi naquele momento. De São Paulo ele saiu calmo, que eu vi.

Quer ver o paulistano ficar muito, muito, muito estressado? Basta usar o pronome de tratamento “meu rei” numa situação em que algo deu errado. Quando alguém começa a dar uma explicação ou pedir desculpas com um “Ô, meu rei…”, sai de baixo. Do outro lado da linha tem um paulistano à beira de um ataque de nervos.

Mas por que diabos o paulistano tira férias, se fora de casa tudo para ele é motivo de stress? Porque o paulistano é um idealista e um abnegado. O paulistano tem uma missão nessa vida, que é a de levar a eficiência a todos os cantos do país – aproveitando a mesma viagem para, se possível, varrer o coentro da face da Terra.

Isso que o paulistano fala – “eu vou descansar” – é pura desculpa de missionário. Paulistano não sabe descansar. Não está no seu DNA. O paulistano só se propõe a descansar porque dessa maneira ele vai poder ficar mais estessado – o que facilita a tarefa de mostrar a essa gente como é que as coisas devem ser feitas de um jeito profissional. É assim que tem que ser. E um paulistano, por definição, jamais fugirá das suas responsabilidades, nem que para isso tenha que abdicar por uns dias do seu dia-a-dia resolvido e relaxado.

Ei! Você aí! Quer parar de chiar o “s”? Não vê que eu tô me estressando?"



Ouvindo_Meu grande bem_Roberto Carlos

terça-feira, 17 de março de 2009

...considerações bairristas..







É verdade..
acontece uma mudança dentro de mim, mas nada muito profundo ou profano..
só algo acontecendo, nas entrelinhas desse meu ser estranho..

Mudanças de estado de consciência, de lugar, e da sensação do que chamar de casa..

Sinceramente me apeguei muito ao bairro que moro, aqui em São Paulo..
é um bairro que oferece a todo instante sabores, cores, cheiros diferentes e agradáveis..
e que conquistaram essa que vos fala, de maneira tal, que até incomoda às vezes..

A Pompéia é um daqueles lugares pra chamar de casa..


Tudo é diversidade e movimento, e os pequenos detalhes são sempre surpreendentes..
As pequenas lojinhas vendendo bujigangas, os barzinhos badalados pertinho de casa, os restaurantes mais variados, as comidas, as pessoas..


Além disso, as quitandas são um caso a parte..
é cada padaria deliciosa..
com tantos quitutes e guloseimas..
Como a Dona Deôla, ou a Cremona..

As lojinhas de roupas, os brechós..
os famosos "R$1,99", papelarias cheias de trecos, bares..
açougues, supermecados..docerias..
é um variado de coisas, que só aqui na Pompéia se pode encontrar..

A Pompéia também tem seu lado chique..
gente famosa mora por aqui..
eles e seus cachorros..
que infelizmente são a marca principal para quem anda pelas calçadas do bairro..
tem horas que parece mais um campo minado..
onde o transeunte tem que desviar a toda hora do "defécto" no chão..

Mudando de assunto
Uma delícia daqui, são as pizzarias..
tem tantas..que você até fica perdido pra escolher..
a minha preferida, é a que fica na porta de casa praticamente..
Pizzaria Fornelli..
o dono, um simpático "meia - idade rock n' roll" oferece não só a já eleita melhor pizza de São Paulo, como também vinhos, cachacinhas e obviamente som ambiente da mais pura qualidade..
Em termos de espaço é bem pequeno, mas depois que você come a pizza..
tudo se transforma em deleite com gosto de manjericão, mussarela de búfala, calabresa..beringela..e por aí vai.

Na Pompéia você encontra uma mistura de pessoas e lugares, muito peculiar..
artistas, anônimos, gente alternativa, gente humilde, gente muito rica, pessoas dos mais diversos lugares do Brasil e do mundo..
enfim, gente que bate perna pra todos os lados desse morro que resolveram chamar de bairro..

As casas antigas, os prédio em construção..
dão o retrato contraste da cidade de São Paulo..
e por todas essas coisas este é o bairro que aprendi a chamar..

de casa!




Notas, do que penso..
e sinto inconstantemente...



Ouvindo_Jura-me_ Roberto Carlos

segunda-feira, 16 de março de 2009

mallu magalhães no faustão

video




Algumas coisas nesse país são muito bizarras..
como José Sarney e Fernando Collor..
mãaaaaaaaas

mais que isso..

só a dancinha rídicula das dançarinas do Faustão, tentando acompanhar o folk moderninho de Mallu Magalhães..

isso é Brasil!!!
Será que não dá pra entender que às vezes, somente às vezes, é melhor ficar quietinho e escutar..
do que tentar balançar a bunda pra dançar o "Indançavel"???


sinceramente não dá pra escolher o que é pior..
se a mallu no faustão (WTH!!) , ou se as dançarinas rídiculas..
pelamor..




Ouvindo_The Strokes_Reptilia

esses japoneses..

video


Já que eles fazem taaaanto sucesso, resolvi colocar aqui uma coisa que achei no youtube..
uma japinha muito simpática, cheia de caras e bocas..e que canta..só faltava ser um robô!!

vale a pena assistir..





e vamo que vamo..
pois como diz o Macaco Simão, hoje só amanhã..
=)

sexta-feira, 13 de março de 2009

coisas que eu leio e não me conformo..


Edição de Março/ Revista Veja

Em "Gente"

"Primeira eliminada na atual temporada do Big Bumbum Brasil (ah, todo mundo sabe o nome de verdade), a miss Pernambuco (WTH!), Michele Costa 24 anos, diz: " (...) Resolvi encarar (posar na Playboy) por causa do dinheiro. Quero dar a minha mãe um chuveiro elétrico e não quero mais andar de ônibus"(sic).



Ohh tadinha..
compra um chuveirinho elétrico pra menina coitada..
mas cuidado hein, porque a água quente pode derreter o cérebro já tão frágil da pobrezinha...


Me explica, da onde eles tiram essas antas, MEO DEOS!!!



Tanta coisa no mundo, e eu comentando Big (whatever) Brasil...



Na vitrolinha_Qualquer uma do_Kings of Leon

quinta-feira, 12 de março de 2009

Mudanças, mudanças


De tempos em tempos é bom modificar um pouco a cara da gente..

Perder uns dias, ganhar uns kilos, mudar a cara do escritório ou do quarto, e até mesmo mudar a cara do bloguinho..

Porque como eu sempre digo, a vida é um eterno trocar..



Com a maestria do meu “webdesignergarotodainformática” o blog ganhou um visual que eu acho mais a minha cara..mais descolado..

Afinal, tem tanto texto expressivo aqui, que acho que aquela carinha delicada, e quase infantil já estava passando do ponto.



Apareceram novidades também, como os banners que agora ficam dançando aqui do ladinho da tela..(rotacionando seria melhor..)

Os comentários, são esses bilhetinhos afixados no começo de cada post, e se não quiser comentar você pode dar simplesmente uma opinião, marcando um quadradinho ao final de cada post..


Interessante...


Tudo isso graças a quem entende do assunto..

O Tangerine !

Que fez um ótimo trabalho em seu blog pessoal, e agora tá bombando de visitas..



Aqui, a gente continua na mesma..

Alguns três ou quatro leitores fixos e outros que aparecem de vez em quando..

Até porque conteúdo com muito texto como eu faço, quase ninguém tem paciência de ler..



Mudanças a parte, continuamos por aqui..

Eu e essa minha alma incansável e voraz por sentimentos..



Comemorando hoje a vitória de ser uma pessoa que ama..

E por isso, e simplesmente por esse sorriso no meu coração.. fico agradecida..




Ouvindo_pessoas falando em ritmo frenético_Office

segunda-feira, 2 de março de 2009

Sobre Cotas nas Universidades


Reportagem da revista Veja desta semana, o tema Cota nas Universidades Federais Brasileiras, vai alimentar contradições e opiniões diversas.

Afinal, o sistema educacional do país já uma contradição por si só. Já que, a tanto se fala que as crianças são o futuro da nação, e ao mesmo tempo investe-se pouco ou quase nada em ensino de qualidade, profissionais bem treinados e bem pagos, e uma escola com boa infra-estrutura.

Mas bah! Isso já é tão lugar comum, como corrupção na política para nós, cidadãos.

Enfim, leio a reportagem e uma, ou melhor, várias pulgas me coçam atrás da orelha..

Ta aí uma coisa que vai mudar a vida de muita gente, e muita gente da minha idade..

Estabelecer cotas para negros, pardos e índios é uma decisão um tanto delicada, principalmente no Brasil..

Do meu ponto de vista, acho delicado porque definir o que é ser negro no país é muitíssimo difícil. E depois, o país tem tanta desigualdade social, que acho que “raça” é só uma pequena fração do todo.

Afinal, somos todos descendentes de algum espanhol, escravo, caboclo, índio, italiano, japonês..etc..

E acho que comprar uma briga a partir do ponto de vista racial não é tão inteligente.

Em uma parte da reportagem, pessoas e entidades defendem que o Brasil por ter vivido longo período escravocrata deve àqueles que mais foram prejudicados com o sistema, ou seja, os negros, pardos e índios, uma “recompensa”.

Concordo que a escravidão foi um período terrível de nossa história, mas continuo não achando que essa é a melhor maneira para resolvermos um problema que está além das classes raciais e sociais.






A educação é coisa séria, ou assim se prega há muito tempo.

Acho que é necessário sim, dar oportunidades a TODOS à uma educação de qualidade e a possibilidade de ascensão profissional. Mas levar apenas a cor da pele em conta é pouco demais.

Até porque onde ficam então os pobres e brancos? Onde ficam os descentes de italianos de japoneses, de espanhóis? E nós?Os BRASILEIROS? Onde ficamos?

Não adianta querer tapar o sol com a peneira enxergando parte do problema e tentar resolvê-lo pela metade.

Não seria melhor, fazer uma reestruturação no sistema escolar, começando lá trás, quando a criança entra na escola? Preparando ela desde o começo para conseguir entrar para faculdade?

E não falo só da educação, mas falo da estrutura familiar da criança, aliás, seja ela branca ou negra..

Que tal colocarmos mais escolas, e melhores professores?? Sim, porque melhores professores também exigem melhores salários, e claro, material didático compatível com as aulas que irão dar. Uma infra-estrutura preparada desde o começo para oferecer o melhor..
Porque não votamos uma lei que defenda e aplique isso?

Porque?







Não meus caros leitores o que temos?O que vemos?

Vemos uma lei que define raças, classes, uma lei que abre espaço para um mal tão difícil de ser expurgado das sociedades, o do preconceito.

Jovens podem ser cruéis demais, e o serão, tenha certeza, com os chamados “cotistas”.

E em teoria, estarão certos, pois como você diz para uma pessoa que se esforçou e estudou, e fez de tudo para passar no vestibular que a vaga dela foi preenchida por uma pessoa que teve uma nota 25% mais baixa?

É difícil..

Eu sei também que ser negro, mesmo no Brasil não é fácil.

Mas sei que ser pobre também não é..

Não é fácil não poder entrar pra faculdade..mas mais difícil ainda é não ter nada pra comer em casa..

É difícil não se formar pra advocacia, mais é pior não saber o que é isso.

De que adianta então, eu me pergunto..

Colocar alguém que nunca na vida teve ou soube o que era ter educação, em uma faculdade para ser um profissional, sendo que essa pessoa nunca deu valor à isso..

Não os negros, mais todas as pessoas que não tem capacidade de chegar a um nível escolar médio..

Acho delicado, como já disse, mas acho que se começarmos pelo básico, negros e brancos e pardos e índios terão oportunidade de ascender em sua classe social.

Acho ainda que teremos cidadão mais preparados, e menos burros..

Porque é isso que vejo em alguns “sites de relacionamento” e blogs que entro e leio, a total burrice..

Negra, branca ou parda..o nosso jovem antes de mais nada, precisa de educação..

E assim como todo cidadão, precisa de saúde, segurança e lazer.

E acho que infelizmente nossas políticas públicas não estão preparadas para nos oferecerem isso.

Nem nós jovens, preparados para cobrá-las.





Ouvindo_minha indignação

é possível..


é possível mover-se em direção a luz..
é possível acreditar, fazer diferente..
é possível amar, e acreditar no amor,
mesmo quanto os tempos são difíceis..

é possível brincar, ser leve e reaprender..
afinal, desde de pequena ouço falar em crise, solidão..
desespero..
e vejo o mundo todo dia..me mostrar que existe possibilidade,
inúmeras possibilidades aliás, para a felicidade..

o dinheiro, é possível..
o trabalho é necessário..
o dia-a-dia é inevitável...
a rotina é cansativa,
mas o sorriso vale a pena
a sexta feira é santa
o sábado é revigorante
e o domingo é reflexivo..

ou seja, a vida é isso..
é esse eterno reaprender, reiventar..
crise?
que crise?
o importante é não esquecer que a vida continua..
com ou sem ela...

porque como dizia o grande poeta Fernando Pessoa..

Navegar é preciso, viver não é preciso..


e vamo que vamo, que segunda..
é dia de trabalhar e muito..



Ouvindo_lá no radinho_Alpha FM (variadas)