sexta-feira, 5 de março de 2010

vai pra onde?







Somos seres teimosos por natureza.
Disseram pra gente que o mundo era quadrado, e não satisfeito com isso, o sujeito foi lá e provou que não era.
Não nos deram asas, mas fomos a luta e demos um jeito de aprender a voar. Aprendemos a medir o tempo, a hora..
Criamos
coisas inimagináveis e brilhantes justamente porque nos foi dito que tal feito era impossível.
Talvez a teimosia seja uma de nossas características mais especiais, um dos inúmeros fatores que nos diferem dos demais seres vivos.
A chama viva da teimosia nos motiva a tentar o novo, a criar e a fazer diferente.

Mas com o passar dos anos, a teimosia que outrora nos dava um aspecto motivador e até mesmo brilhante, hoje nos tira da compostura e nos coloca em situações cada vez mais constrangedoras.

Se nos primordios o fato de insistirmos no erro para provar que estavámos certos poderia ser interessante, hoje nossa teimosia serve apenas para defender valores cheios de egocentrismo e verdades absurdas.
Somos os teimosos 2.0, insistindo em pregar idéias e conceitos para outros que nem mesmo sabemos se estão nos ouvindo.

Teimamos em nossas relações, repetindo os mesmos erros..
teimamos com o mundo, querendo que ele se dobre as nossas vontades..teimamos com nos mesmos, todos os dias fazendo coisas das quais nos arrependeremos inevitavelmente.
A sensação que fica na gente é que estamos todos prontos para defender as teorias, nossas teorias..
Nossas verdades, nossos conceitos de certo e de errado.

E enquanto isso, o mundo é caos..

Atualmente, prefiro ser feliz do que ter razão. Em qualquer que seja a circunstância, prefiro a paz a entrar em guerras por coisas que de fato não mudarão nossas vidas. É importante frisar que a divergência de opiniões e culturas é de fato importante para o desenvolvimento de novas idéias e conceitos, mas antes de mais nada, é importante ter cidadãos com mais consciência e mais flexibilidade.
Pessoas intencionadas a ter discussões que levem de fato a um bem maior, e não é utopia..as empresas, organizações, escolas e governos precisam disso.

Estamos cansados de reuniões que não levam senão a perda massiva de tempo, palestras que não nos fazem pensar de fato, debates que defendem interesses privados, enfim toda essa cretinice cotidiana que não modifica nada em nossas vidas.
Precisamos ser teimosos, persistentes em coisas que valham o esforço. E não em mediocridades pequenas sobre o que vamos fazer no próximo fim de semana.

Porque teimar é uma coisa, continuar errando é outra.



Ouvindo_Marisa Monte_O que me importa


2 comentários:

André Sant'Anna disse...

Concordo com você quanto ao fato de nós não darmos tanto valor àquilo que, de fato, não merece tanta atenção. Mas, as vezes, esse discernimento é o difícil de conquistar, né? Quem sabe um pouco mais de experiência me auxilie nisso...
Mto boa essa imagem do post! Ilustrou mto bem, hehehe!
Bjos!

Silvia disse...

PARABÉNS !!!! VC SABE COLOCAR SUAS IDÉIAS DE FORMA CLARA . E MENINA VC VAI LONGE. BEIJOS